Famílias beneficiárias do Mato Grosso dialogam sobre adubação verde e reflorestamento em dia de campo

O segundo dia de campo das famílias beneficiárias do projeto “Uso de Tecnologias Sociais para Redução do Desmatamento" aconteceu no dia 04 de dezembro de 2019, na propriedade do agricultor beneficiário da comunidade P.A. Wesley Manoel dos Santos, Sinop, Mato Grosso.

A atividade contou com o apoio de Thiago Tombini, engenheiro agrônomo e técnico da Empresa Mato-grossense de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural-EMPAER levando apresentação e prática sobre adubação verde, e apoio de Juliano de Paulo Santos, doutor em engenharia florestal e professor na Universidade Federal de Mato Grosso-UFMT, levando o diálogo sobre o tema reflorestamento e Recuperação de Áreas Degradadas-RAD.

 

O tema adubação verde é importante para o projeto, já que segue a lógica da agroecologia ao substituir adubos químicos. Essa técnica favorece a ciclagem e a recuperação de nutrientes do solo através de determinadas espécies condicionadoras do solo. Para exemplificar, utilizou-se a espécie Tithonia diversifolia, conhecida como margaridão, fácil de encontrar na região, de crescimento rápido e que suporta solos fracos. A planta triturada pode ser utilizada como cobertura do solo em hortas. Uma horta agroecológica deve ter o solo coberto, inclusive nos caminhos entre os canteiros.

O tema RAD veio com a ideia de unir as metas de plantio do projeto com a necessidade de recuperar uma nascente. Com isso, o professor levou para os agricultores a importância das Áreas de Preservação Permanente-APP. A conversa aconteceu às margens do córrego, na sombra das árvores e ao som do rio e dos animais. O local contribuiu para intensificar a sensibilização dos agricultores, vendo e sentindo aquilo que se perdia com o desmatamento. Após a conversa, o grupo realizou o plantio de 200 mudas de espécies variadas nativas da Amazônia, como ipê roxo, ingá, açaí, paineira, entre outras.

 O projeto “Uso de tecnologias sociais para redução do desmatamento” é uma conquista das famílias atingidas por barragens e é executado pela Associação de Desenvolvimento Agrícola Interestadual (ADAI) em parceria com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), através do contrato de concessão de colaboração financeira não reembolsável nº 17.2.0254.1

 

Fundo Amazônia: 
Assistência técnica